Endereço

Universidade Federal de Viçosa

DCM – Departamento de
Comunicação Social
Tel: (31) 3612-3200, 3612-3201
Edifício Fábio Ribeiro Gomes, 2° andar | Campus UFV
Viçosa – MG – CEP: 36570-000
E-mail: dcm@ufv.br

Informativo

Ex-aluna exibiu TCC, documentário sobre Canudos, na terra natal de Antônio Conselheiro

maria-gabriela-matos

Maria Gabriela, ao microfone, apresenta o documentário produzido como TCC

A terra natal de Antônio Vicente Mendes Maciel – o Antônio Conselheiro, Quixeramobim (Ceará), realiza anualmente o festival “Conselheiro Vivo”, para celebrar o aniversário e a trajetória do líder da comunidade de Canudos. Neste ano, o evento foi realizado de 10 a 14 de março, contando com palestras, lançamentos de livros, apresentações culturais e oficinas. Uma das atrações foi a exibição de um documentário feito pela ex-aluna de Comunicação Social – Jornalismo da UFV, Maria Gabriela Ribeiro Matos.

O documentário “Canudos Resiste” foi produzido pela Maria Gabriela em 2019, a partir de memórias contemporâneas construindo a história do povoado. “Foram três semanas de produção na Bahia, sendo quatro dias passados em Canudos”, relata a jornalista. Vários moradores do povoado, que possuem algum vínculo com a história por meio ancestral ou de pesquisa, foram entrevistados. O documentário foi o trabalho de conclusão de curso (TCC) de Maria Gabriela, sob orientação da professora Kátia Fraga e coorientação do técnico em audiovisual Albert Ferreira (ambos do DCM). A então estudante fez a defesa do TCC em novembro de 2019.

Maria Gabriela conta que a motivação para produzir o documentário surgiu de sua ancestralidade: “Meu pai é nordestino, baiano nascido em Monte Santo, cidade que foi quartel-general de Canudos. Desde pequena, eu ouvia minha avó falar dessa guerra, mas nunca entendi muito bem, até que com o passar dos anos a paixão pela história do sertão da Bahia aumentou e decidi que meu TCC seria sobre isso”.

Coincidentemente, o título do seu documentário dialogou com o tema do festival: “Antônio Conselheiro 190 anos: resistindo e construindo esperança no sertão”. O vídeo foi exibido em escola pública de Quixeramobim e, para Maria Gabriela, “A sensação foi inexplicável, pois foi a primeira exibição fora do contexto universitário. É uma honra estender a pesquisa para outros povos, em especial quando esses possuem vínculos com a história. Isso mostra a real função da pesquisa na Universidade, que é chegar até a população”, comentou ela, que pretende aprofundar sua pesquisa no futuro.

Atualmente, Maria Gabriela inscreve o documentário em mostras e eventos; mora em Salvador (Bahia) e trabalha com assessoria política.

 


Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress